OLHAR
Homepage do Metrô
 
DIÁRIO DE BORDO
por Silvana Castro
 
Quarta-feira, 04/12/2002
Cheguei no hotel e perguntei logo onde era a FNAC. Fui lá para não errar o caminho no dia. Aproveitei e comprei logo o cd DÉJÀ VU pra não correr o risco de acabar antes de começar o show. Voltei pro hotel e fui olhar o cd (só olhar, já que lá não tinha aparelho de som pra escutar). Quase não acreditei quando li os agradecimentos. Comecei a chorar. Liguei pro meu irmão, depois pra minha irmã e depois pra Débora (que me apresentou - via Internet - pro Alec). Não conseguia dizer coisa com coisa pra nenhum dos três. Resolvi dar uma volta pela cidade. Fui até à Paulista ver a exposição da Bia Lessa (esposa do Dany) lá no Itaú Cultural. Aliás, muito legal a exposição. Tem uma parte lá que você faz uma troca. Você leva um pedaço de pão e deixa algo seu, que passa a fazer parte da exposição. No dia que eu fui, tinha um pára-choque lá. O cara que trabalha lá disse que alguém bateu com o carro ali perto e o pára-choque do carro caiu no chão. Daí o dono do carro batido levou o pára-choque pra deixar na exposição. Tem outras trocas bem viajadas, como cuecas, salgadinhos de queijo e até telefones com fotos, para as pessoas ligarem. De lá, voltei pro Hotel andando. Liguei de volta pra Débora e marquei com ela no dia seguinte no Shopping Paulista. Depois fui dormir. Achava que não ia dormir direito de tanta ansiedade.
 
Quinta-feira, 05/12/2002
Ao contrário do que pensava, até que consegui dormir e bem. Em compensação, não conseguia comer durante todo o dia. O que salvou foi o passeio com a Débora e a Nat. Demos uma voltinha num shopping na Paulista e de lá fomos até o parque Ibirapuera. Andamos um pouco por lá e conversamos bastante. Foi bom até pra distrair. De lá, as garotas me deixaram no hotel. Infelizmente elas não puderam ficar.
Comi alguma coisa, pois ainda estava só com o café da manhã e de lá fui a FNAC. Cheguei e fui subindo bem devagar... O último andar (sempre ele) foi o mais difícil de subir. Respirava fundo tentando controlar a ansiedade. Quando chego ao local, vejo o Yann (logo quem?) que tinha acabado de chegar e estava procurando um local pra colocar o violão. Eu me aproximo lentamente dele e pergunto "Yann?", e ele: "sim!". Daí digo "Silvana, da página" e ele aperta a minha mão e me dá dois beijinhos. Diz pra eu ficar à vontade pois ele tinha que descer e dar uma entrevista por telefone. Ele desceu e eu fiquei andando por ali... Quando volto ao local, Virginie tinha acabado de chegar. Fui chegando perto e ela olhou pra mim e sorriu, daí me identifiquei. Ela me deu um beijo e um abraço, depois disparou: "calma Silvana... A gente já se conhece... Só que agora é pessoalmente" (gente.... será que eu tava nervosa???). Depois ela me apresentou aos sobrinhos que estavam com ela e a uma pessoa da Trama. Depois chegou alguém da FNAC e levou o pessoal pra ir a uma sala, onde ficava o lanche deles. Fui com ela. Lá, ela contou umas estórias e aos poucos fui me acalmando. Yann, volta da entrevista e a Virginie disse que eu era da página do Metrô, até então ele não tinha atinado quem eu era. A Virginie ainda fez um comentário de um email que trocamos sobre o Yann na frente dele. Quase morri de vergonha. Minha sorte foi que ele não entendeu nada. Um tempo depois, chega o Dany. Nem tive tempo de ficar nervosa, ele chegou e já foi direto na minha direção pra falar comigo (eu tinha mandado uma foto minha pra ele, pra facilitar a identificação). Entreguei pra cada um deles duas fotos que meu irmão tinha tirado deles num show de 1985, aqui no Recife e a Virginie já foi logo assinando o cd. Falei com a Bia e disse sobre o pára-choque que tá na exposição e ela vibrou quando soube!
Descemos e eles foram ensaiar. Com pouco tempo, chega o Ricardo Melo. Apresentei ele à Ginie. Depois chegou o Guilherme e o André Briesi. Apresentei eles ao pessoal do Metrô e ficamos lá vendo o ensaio. A MTV gravou o ensaio pra depois passar na TV. Quando, eu não sei. Eles subiram um pouco antes de começar o show e eu fiquei lá conversando com o pessoal da lista. Com pouco tempo chegou o Alec Haiat. Fui falar com ele e pedi logo um autógrafo. Como ele não conhecia a edição que eu levei pra ele autografar, fui bombardeada de perguntas sobre o cd e não sabia nem por onde começar a responder e acabou me deixando mais nervosa do que eu já estava. Também entreguei a ele as fotos. Quando ele acabou de assinar, o show já ia começar e pedi a ele pra tirar uma foto depois do show. Até então estava maravilhada como todos eles, pois eles estavam tratando a gente muito bem. Parecia que éramos amigos de anos...
O show foi maravilhoso. Ela começou cantando à capella "Saudades da Bahia" e depois começou a tocar com a banda as músicas "Mensagem de Amor", "Achei Bonito", "Que Nega é Essa?", "Coração Vagabundo", "Johnny Love", "Beat Acelerado" e "Sândalo de Dândi". Estava tão emocionada que nem tirei a quantidade de fotos que eu imaginava que poderia tirar. Não tirei nem metade do que pretendia. Durante o show vi o Léo Jaime sentado quietinho lá trás, o Zaviê e o Vicente França (autor de algumas músicas do Metrô). A Virginie quase me mata de vergonha quando pediu a mim a capa do cd Olhar pra ela mostrar ao público.
Terminado o show, corri logo pra entregar as fotos pro Zaviê, pegar os autógrafos com ele e depois tirar fotos com ele. Depois fui atrás do Alec pra tirar as fotos. Procurei o Léo Jaime e ele já tinha ido embora, infelizmente. Queria pegar um autógrafo e tirar uma foto com ele.
O André veio falar comigo, pois o pessoal da TRAMA havia perguntado se a gente queria participar da platéia do ALTAS HORAS, onde a gravação seria no dia seguinte. Disse que ia depender se eu iria ou não pra FNAC de Campinas (depois desse show, fiquei querendo mais).
Já na saída, estava conversando com a Virginie lá embaixo enquanto ela esperava o Yann pegar o carro. Ela perguntou pra mim se eu já estavam mais calma. Estava! Mas só um pouco. O Ricardo ainda tava por lá. Yann tinha dito pra deixar o telefone do hotel onde eu estava pra Ginie, pois se desse, iria com eles pra Campinas. Bastava ter vaga no carro e eles voltarem na Sexta feira mesmo. Eu me despedi do pessoal e fui pro Hotel tentar dormir.
 
Sexta-feira, 06/12/2002
Após  quase não dormir durante a noite (atire a primeira pedra quem dormiu tranqüilo neste dia), falei com o Yann por telefone que disse que eu ia com eles, pois eles iriam dar um jeito caso não houvesse vaga na van. DELIREI! Ele me deu o endereço do local do encontro e depois liguei pro André avisando que eu não iria pra gravação do Altas Horas, pois iria com o Metrô pra Campinas.
Peguei um táxi e fui pro local do encontro. O medo de chegar atrasada por causa do trânsito era tão grande que acabei chegando uma hora mais cedo do combinado. Lá, pra minha surpresa, a gente ia pra gravação do Altas Horas. Eu estava tão aérea que não tinha atinado que a gravação era com eles. Enquanto esperávamos pelo horário da gravação, fui com Bia e mais algumas pessoas fazer um lanche rápido. Foi quando fiquei REALMENTE à vontade (obrigada, Bia!!). Voltamos e um pouco antes da gravação, vi o Kid Vinil falando com o Dany. Fiquei tão feliz com a presença dele ali que acabei me esquecendo de tirar uma foto com ele, ou pelo menos uma só dele (como eu me odeio por isso!).
Na hora do grupo entrar no palco, fui com a Adéle (sobrinha da Virginie) sentar num cantinho da platéia. E não é que o Serginho Groisman parou a gente pra perguntar por que a gente tava lá? - "Metrô", foi a resposta, aí ele "liberou" a entrada da gente. Durante a gravação do programa, tirei algumas fotos e quando eles mostraram um clip de Tudo Pode Mudar, quase choro de emoção junto com a Adéle. Foi por muito pouco que a gente não chorou ali, no meio do programa. Ainda vi o Bruno Gouveia por lá. Após a gravação, fomos direto pra Campinas. Já estávamos um pouco atrasados. Durante o percurso, conversei um pouco com a Virginie e com o Yann, mas ambos estavam cansados e dormiram boa parte da viagem.
Quando chegamos lá, escolhi um cantinho pra sentar e vi um rapaz conversando com o Dany. Só vi o Dany dizendo "ela tá ali" e apontou pra mim. O rapaz era o André Dezaum, que é da lista. Conversamos um pouco e logo depois, o show começou. O repertório foi o mesmo do dia anterior, e tal qual aconteceu em Sampa, Sândalo foi a música que a galera mais se animou e cantou com eles.
Após o show, foi a vez do Robson falar com o Dany. Ficamos ali conversando com o pessoal da banda e outros fãs até a hora de todos irem. Fui me despedir do Dany, da Bia e da pequena Clara, pois eu iria pro Rio no dia seguinte e como eles estavam de carro, eu não iria vê-los mais. No caminho de volta, fui conversando com a Virginie. Eu já estava começando a ficar triste, pois não iria mais vê-los, além de estar visivelmente cansada. Quando chegamos na casa da Ginie, despedi-me dela e fui com o André e o Yann de carro pra eles me deixarem no hotel. Ainda tivemos um tempinho pra bater papo, pois estávamos todos com fome e paramos pra lanchar. Na hora que me deixaram no hotel, tive que me conter, pois a vontade de chorar era grande. Nunca pensei que todos eles fossem pessoas tão simples, tão simpáticas e tão carinhosas com todos. Dava mesmo a sensação de que éramos amigos há anos. Fui dormir esperando que quando acordasse, visse que tudo tinha realmente acontecido e esperando vê-los em breve.
 
Quarta-feira, 11/12/2002
O breve foi mais breve do que eu imaginava. Eu havia mandado um email pra Dany avisando que eu ainda estava no Rio e como ele havia acabado de chegar, nos encontramos mais uma vez. Eu, ele, a Bia, o Tiago (que estava com eles nos dois dias que eu estava por lá) e a pequena Clara. Ainda conheci o local de gravação do cd e a Maria e a Vanda, duas das "Meninas de Santa Teresa" que cantam em Rapaz da Moda e em Déjà Vu. Mais uma vez, a emoção falou mais alto e eu não bati fotos (sim, mereço apanhar!).
Voltei pra casa a noite, com esperanças de que no próximo ano, eu possa vê-los novamente. Quem sabe desta vez eles tocando aqui no Recife?
Termino meu diário aqui agradecendo a Virginie, Dany, Yann, André, Alec, Zaviê, Bia, Adéle, Alex, Mahé, Melanie, Maria, Clara, Tiago, Noe, Isabel, Ana, Renata, Ricardo, Deco, Guilherme, Dezaum, Robson, Marcelo e Vanda pela recepção, carinho, atenção e paciência para com a minha pessoa. Foi um prazer inenarrável conhecê-los!
 
Voltar

Comments